ACATE Startups promove evento com empreendedores de referência e a lição que fica é: a hora de abrir seu negócio é agora

Seis histórias foram compartilhadas no encontro para provar que os desafios podem ser superados

Hoje as startups representam agentes fundamentais do desenvolvimento da inovação e tecnologia em Santa Catarina. Reconhecendo esse valor, a Associação Catarinense de Tecnologia desenvolve o projeto ACATE Startups, com o objetivo de aproximar essas empresas do ecossistema e impulsionar o desenvolvimento de cada uma. No primeiro evento do projeto, seis empreendedores de peso de Santa Catarina compartilharam o início de sua trajetória no empreendedorismo. Confira as principais histórias compartilhadas:

 

Não tenho ideias para o produto

Quando os seis sócios fundadores da Involves abandonaram o emprego para se dedicar exclusivamente ao empreendedorismo, eles não tinham uma ideia clara de qual seria o produto da empresa. O time começou desenvolvendo sites e outras plataformas encomendadas por clientes. Eles sabiam que queria desenvolver um produto de renda recorrente e quando foram contratados para desenvolver uma plataforma de gestão de promotores de venda, perceberam a possibilidade de transformar aquilo em um SaaS, software como serviço. Hoje a scale-up é uma das principais empresas do ecossistema catarinense, tendo faturado mais de R$ 18 milhões e crescido mais de 50% no ano passado.

 

O setor é conservador

A WeGov nasceu com um objetivo ousado: levar inovação para o setor público. A área é extremamente conservadora e a solução encontrada pela empresa foi promover eventos gratuitos para funcionários públicos, educando seu mercado-alvo. O primeiro deles não poderia ter dado mais errado, a estrutura preparada para receber 400 pessoas contou com 30 participantes. O caminho foi muito mais longo e difícil do que eles pensaram, foram dois anos promovendo eventos mensais para o setor, mas, ano passado o salto no faturamento chegou, a empresa arrecadou R$ 600 mil.

 

Mas eu não entendo nada de tecnologia

Quando os fundadores da Axado decidiram criar a empresa, eles não sabiam nada de tecnologia. Muito menos de programação, nem uma única linha de código. Para desenvolver a plataforma eles contrataram uma fábrica de software e a experiência foi amarga, o código escrito não possuía qualidade e tiveram que refazer do zero todo o produto, mas os desafios geraram ainda mais motivação para o time. A empresa foi vendida por R$ 26 milhões para o Mercado Livre em 2016.

 

Mas será que é isso mesmo?

A Socialbase desenvolve soluções para RH e no começo não realizou um processo de validação detalhado. Seu fundador conta que o preço dessa escolha foi alto, hoje o erro não seria repetido. Pode ser duro saber que sua ideia não é tão boa quanto você imagina, e descobrir que ninguém investiria dinheiro nela, mas passar por um processo de validação poupa tempo e dinheiro e se não der certo, é só seguir outro caminho.

 

A primeira vez foi ruim

Quando o fundador da Exact Sales disse para seus amigos que iria voltar a empreender, vários o chamaram de louco. Théo Orosco, fundador da Exact,  já possuía uma experiência muito negativa com o empreendedorismo e não queria prejudicar sua saúde mental e física. Mesmo assim resolveu investir em um produto digital e conseguiu criar um novo estilo de vida. A escolha foi certeira, a Exact faturou R$ 11 milhões em 2017.

 

A hora certa

Victor Levy, fundador da Cata Company, sempre andou na contramão do tempo. Abandonou um emprego estável nos Estados Unidos, com ótimo salário, para empreender em tecnologia pouco antes da bolha econômica estourar. A crise trouxe incertezas e mostrou logo no começo que a vida de empreendedor seria cheia de altos e baixos. A lição que ele levou é de que o tempo sempre vai ser complicado e o contexto nacional dificil, mas isso não pode ser usado como uma desculpa para não empreender. O que importa aqui é ter um bom produto.

 

ACATE Startups

O programa foi criado com o intuito de alavancar as startups catarinenses e impulsionar a inovação dentro do ecossistema, promovendo troca de conhecimentos, parcerias e benefícios. A iniciativa conta com três embaixadores, André Krummenauer, sócio-fundador da Involves, Guilherme Reitz, fundador da Axado e Yungas, e Théo Orosco, co-fundador e CEO da Exact Sales. O programa oferece uma série de benefícios, como a participação em oficinas temáticas, que vão discutir temas como cultura, vendas e custumer success, e convênios exclusivos. Além disso, startups com até 15 colaboradores, faturamento de até R$ 360 mil no ano anterior e CNPJ criado em três anos ou menos poderão ter isenção da taxa de mensalidade da associação.